30 de mar de 2015

E tudo muda





        As coisas mudam. A vida muda. As pessoas mudam. Essa é a verdade: estamos em constante mudança, tudo ao nosso redor é instável, efêmero. Mas a nossa essência permanece.

Há um ano, tinha uma vida confortável numa grande metrópole brasileira, estudava numa das melhores escolas do estado, fazia curso de inglês e francês, estava cercada por uma grande família e tinha poucos e bons amigos. Até que minha vida deu uma reviravolta. Vim morar em Portugal, numa freguesia aos redores de Lisboa, mas nem de longe tão cosmopolita e agitada como minha Fortaleza. Longe da minha família e amigos, tendo do meu lado minha mãe e sua nova família. Larguei os cursos de língua, passei a estudar numa escola publica que não lembra nem de longe as escolas publicas americanas representadas nos filmes. Tive que começar do zero. 

Quem via de fora achava que eu estava maluca, minha mãe é uma acéfala e não pensou direito. Mas quem estava de fora não via o quão solitária eu era. Não via as minhas constantes brigas com o meu irmão. Não via a ausência de meu pai. Quem estava de fora não via que meus amigos já estavam distantes, emocionalmente ou fisicamente. Não via que a rotina me consumia e já não sabia quem eu era. Quem estava de fora não via meus problemas com o peso e auto estima derivados de três anos sofrendo bullying na tão tradicional e famosa escola. Não, quem estava de fora só via uma menina de dezesseis anos mudando de país, deixando sua família com saudades.

Quem me vê agora jamais imaginaria quem eu era há um ano. Sou, enfim, feliz. Meu circulo de amizades se expandiu, mas tenho quatro maravilhosas amigas em quem confio meus segredos e loucuras. Alias, acabei de voltar de viagem com elas. Continuo um tanto insegura, mas minha auto estima melhorou muito e costumo atrair mais olhares masculinos. E mantenho muitas das amizades que tinha na minha cidade natal. Minha família permanece... sendo minha família, e até estou mais próxima do meu pai.

Eu permaneço a mesma, na minha essência, mas todo o resto mudou. Minha atitude mudou, meu sorriso, meu cabelo, minhas roupas, minha vida. Agora, solto minha gargalhada estranha sem medo. Olho de volta quando um cara bonito me olha. Faço piadas ambíguas sem me importar com o que vão pensar. Sou mais livre, mais leve, mais eu. Mas eu continuo sendo a menina atrapalhada que tem as quedas mais incríveis, viciada em chocolate e em abraços apertados, que se sensibiliza com tudo e desabafa em um blog. 

Se quer um conselho, te digo para não ter medo de fazer algo porque isso irá mudar algo em sua vida, a sua vida vai mudar mesmo sem faze-lo. Então arrisque-se, seja feliz. E mande o que te impede pra merda.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo