17 de jan de 2015

Espero que fique bem







          Você me olha com esses olhos, esses mesmos olhos que me desarmavam com um olhar, e eu já não reconheço mais. Quem é você? O que você fez com o A que conheci?

Você abre os braços, os mesmos braços que costumavam me aninhar, me trazer paz, e tudo o que vejo são músculos. Eu costumava ser atraída por eles, mas hoje eles só me causam repulsa. Desde que vi que neles, também estava o lar de outra pessoa.

Você abre sua boca, a mesma que eu beijava como se fosse a melhor coisa do mundo, e dela saem palavras sem nexo, naquela voz propositalmente mais rouca, lembro que ela costumava me paralisar, mas tudo que consigo pensar é: como pude me apaixonar por você? Como pude sentir tanto e , agora, não sentir nada?

Eu não estava pronta para o reencontro. Há um ano, quando você me deixou aos pedaços, achei que te ver de novo doeria, traria de volta tudo o que senti antes, mas tudo o que sinto é pena.

Eu realmente achei que ela te faria feliz, que te tornaria menos canalha, mas aquele sorriso sacana que tanto conheço aparece. Guarde essas desculpas esfarrapadas para alguém que realmente acredite nelas, porque eu já não sou a menina boba que você conheceu.

Depois de você, tive que me redescobrir. Gosto mais de mim hoje do que gostava há um ano. Aprendi a valorizar quem realmente importa, acreditar nos meus sonhos, a não ter medo de soltar minha gargalhada estranha, a usar roupas curtas sem temer seu olhar de desaprovação.

Posso te contar um segredo? Estou me apaixonando por mim. Sei que não sou ou jamais serei como aquelas atrizes nas capas de revista, mas que posso ser bonita do meu jeito.

Não estive com ninguém depois de você. Não por falta de opções - lembra que costumava me dizer que ninguém teria olhos pra mim? -, mas por opção própria. Eu não quero amores baratos como o seu, que desmancham com qualquer brisa. Hoje, pra me conquistar, é preciso mais que palavras bonitas.

Ah, desfaça esse sorriso irônico, isso não é sobre você. Todas as minhas amigas dizem que eu devia te odiar, mas não odeio - por pior que tenha acabado, um dia foi bom - e eu realmente espero que você descubra o amor e que ele te torne alguém melhor, como eu me tornei.

A garota que conheceste já não existe. Ela jaz morta, mas em paz. Meu novo eu permitiu-me reavaliar o passado de forma mais clara. Eu entendo o que houve de errado entre nós e assumo a minha parcela de culpa. Eu te pressionei pra me amar e você fingiu que amava. Tentou evitar me machucar, e acabou machucando mais ainda. Eu te perdôo. Você foi algo muito bom e muito ruim ao mesmo tempo. Mas como eu disse, foi. Eu te perdôo, mas não lhe quero de volta a minha vida. Já lhe dei segundas, terceiras, milésimas chances. Todas as chances que podia durante 8 meses, você teve. Mas acabou, você mesmo disse isso. Então, ignorarei sua mensagem, dizendo que sente saudades. Espero que fique bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo