12 de out de 2014

Aquele que só foi meu em pensamento








      Dizem que apenas 10% do cérebro humano é utilizado. Quem disse isso, nunca me viu durante uma noite de insonia. Durante a madrugada, meu cérebro funciona na sua capacidade máxima. Penso em um milhão de coisas ao mesmo tempo e acabo por pensar em nada. Penso nas mazelas da Africa, no trabalho escravo na Asia, na turnê da minha banda favorita, na minha nova família e na minha antiga família. Penso em você. Penso em tudo o que fomos e tudo o que poderíamos ser. O que ainda podemos ser.

Você é a minha pessoa. Eu senti isso quando te conheci e a cada dia tive mais certeza. Eu sinto falta das nossas conversas, por vezes, sem nexo, de assistir filmes sem graça e rir de tudo, de ouvir seus planos e compartilhar os meus. Sinto saudades de me meter em situações embaraçosas com você, de ficar acordada até as três da manhã trocando SMS's, de ver o seu sorriso.

Eu fiz planos para nós. Em segredo, é claro. Você me chamaria de maluca. Pensando bem, você já sabia da minha loucura. Queria te levar pra conhecer minha família. Você provavelmente ficaria confuso com a super lotação das minhas festas familiares, com o barulho que fazemos, com as nossas piadas internas, mal de família latina. Minha avó ia sentar do seu lado e ia contar histórias do passado, as mesmas que eu já escutei centenas de vezes, e te faria ameaças caso me machucasse. Meu irmão iria te olhar feio, meus tios iam fazer piadas sem graça e meus primos iam querer brincar com você. 

Ia passar dois anos juntando dinheiro e faríamos aquela road trip pelos Estados Unidos durante o verão. Iriamos atravessar fronteiras, enfrentar problemas, ter brigas quase diárias e nos apaixonar cada dia mais. 

Eu ia revelar meus segredos. Os poucos que ainda não sabe. Ia despir minha alma. Mostraria minhas feridas e cicatrizes e contaria as histórias por trás delas. E ia tentar descobrir sobre o seu passado e tentar alivia-lo.

Não sei o que aconteceu conosco, como ficamos tão distantes? Eu fico aqui, morrendo de vontade de ir falar com você e dizer como sinto sua falta, falta de como eramos, mas tenho medo demais pra isso. Medo de perder aquele que só foi meu em pensamento.

Você era a minha pessoa. Mas escolheu ser passado. Sinto muito, mas não se implora por amor, e eu cansei de implorar pelo seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo